Por que sósias são engraçados

por Michel Laub

Ariano Suassuna numa de suas aulas-espetáculo, Brasília, 2013.

“O grande pensador francês Henri Bergson dizia que o cômico é resultado da superposição do mecânico ao vivo (…). A gente ri quando espera um acontecimento ou uma história que tenha a inventividade e a graciosidade da vida (…) e, em vez disso, o que aparece é algo de mecanizado, grosseiro (…). Por que a gente acha graça numa queda? Ele dizia, porque se o espírito mergulhasse a carne de tal maneira que a carne também se espiritualizasse, nós nunca cairíamos. Ao escorregar, nós faríamos o movimento gracioso de recuperação. Mas a gente cai que nem uma tábua (risos) (…). Ele também perguntava, por que os gêmeos são engraçados? (…). Se eu tivesse dois irmãos gêmeos, eu entrava aqui agora e vocês aceitavam. Aí entrava outro igualzinho, e vocês iam ficar… Quando entrasse o terceiro vocês cairiam na gargalhada (risos). Porque daria impressão de que a gente tinha se fabricado em série, mecanicamente.”