Um rim, duas histórias

por Michel Laub

Uma escritora iniciante de Iowa resolve doar um de seus rins. Ela escreve a respeito no Facebook e para um grupo de amigos também escritores, explicando o que aparenta ser um gesto altruísta radical: o beneficiário da cirurgia não é um parente ou pessoa próxima, e sim um judeu ortodoxo com quem ela até então jamais tivera contato. Esse é o início de uma história curiosa, cheia de reviravoltas cômicas e dramáticas, contada algumas semanas atrás numa ótima reportagem de Robert Kolker para o The New York Times.

A escritora se chama Dawn Dorland, e uma das integrantes do grupo que recebeu suas mensagens era Sonya Larson. Algum tempo depois, Sonya publicou um conto, The Kindest, que fala justamente sobre um transplante de rim. O texto fez sucesso a ponto de ser adotado por um programa de leitura do Boston Book Festival, cuja proposta era ter 30 mil cópias impressas e distribuídas, e isso foi a gota d’água para o que já tinha virado uma guerra de bastidores: Dorland veio a público e aos tribunais denunciar o que seria um misto de plágio – Sonya reproduz no conto uma carta de Dorland ao seu grupo – e de apropriação ficcional indevida de um fato biográfico alheio.

Início de texto publicado no Valor Econômico, 28-10-21. Íntegra aqui.