Existe amor no FB

por Michel Laub

Num dos textos mais bonitos da língua portuguesa, o “Sermão do Mandato”, padre Antonio Vieira comenta as ignorâncias que impedem o amor de florescer no vale de lágrimas onde vivemos: não conhecer a si mesmo, não entender o amor, não saber onde o amor vai dar, não enxergar a natureza do objeto amado.

Não sei se Jonathan Franzen leu o padre Vieira, mas num ensaio curto, na verdade o discurso de formatura que abre a coletânea “Como Ficar Sozinho” (Companhia das Letras), de certo modo aderiu a um esporte comum quando o assunto são as redes sociais: atualizar os quatro preceitos, definindo o que seriam as relações sentimentais verdadeiras.

Texto publicado na Folha de S. Paulo em 01/02/2013. Íntegra aqui.