Seis propostas para o conto – por Santiago Nazarian

por Michel Laub

(Autor de Mastigando humanos e do recém-lançado Pornofantasma):

1. Esqueça seus sentimentos. Os sentimentos de um escritor não se comunicam e não interessam ao ser humano normal. Concentre-se numa história.

2. Machado de Assis, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Caetano Veloso, Chico Buarque e Fellini são senso comum, não são referências válidas. O mundo não precisa de mais um contista influenciado por esses.

3. Escreva em jejum de sexo. Hormônios satisfeitos não rendem boas histórias.

4. Caminhar pelas as ruas é bom para inspiração, desde que você não observe a realidade. Não observe a realidade. A realidade não importa. Mas cuidado para não ser atropelado.

5. Escreva um romance nos moldes contemporâneos: mais ou menos 40 mil toques, ou aproximadamente cem páginas, em fonte Arial 16, espaçamento triplo, com diversas páginas em branco para respiro, quebra de capítulo etc. Depois diagrame em espaçamento 1.5, fonte Times New Roman 12 e delete as páginas em branco. Pronto, você tem um conto de tamanho respeitável.

6. Não busque fórmulas, não frequente oficinas e, principalmente, não siga conselhos de outros escritores.

Anúncios