Seis propostas para a crônica – por João Paulo Cuenca

por Michel Laub

(Autor de O único final feliz para uma história de amor é um acidente e comentarista da Globo News):

1. O cronista anda a pé. Sua escrita é que não pode ser pedestre.

2- O cronista deve fugir do rodapé das notícias, da opinião sobre o assunto da semana.

3. A crônica é o pingente do jornal. Depende do cronista se é uma joia ou não.

4. O cronista vive em estado de eterna indiscrição consigo mesmo e com tudo que o cerca.

5. O cronista olha a cidade como uma criança, olha a cidade como um estrangeiro. O cronista não se acostuma.

6. O cronista despretensiosamente registra o épico e o grandioso que há nos pequenos episódios da vida.

Anúncios