10 coisas que eu não gostaria de ler em 2011

por Michel Laub

(Mas vou, porque gosto dos meus amigos, etc. etc.):

1. Matérias cujo título ou chamadas tenham verbos no imperativo ou a palavra você.

2. Artigos que usam os termos fascismo, nazismo e stalinismo em debates sobre cigarro, brigas de rua, congresso de jornalistas.

3. Variantes da fórmula “mas ao menos ele tem o mérito de abrir o debate”.

4. Entrevistas de arquitetos defendendo que falta à arquitetura mais discussão sobre estética x função social.

5. Entrevistas de escritores se queixando da crítica, que “ou é ligeira e impressionista, como nos jornais, ou está encastelada na Academia.”

6. Elogios a publicidade.

7. Reportagens sobre pixadores e performers presos por vandalismo –  e no ano seguinte convidados para expor nos lugares onde aconteceram as prisões.

8. Críticas de cinema implicando com o off em documentários e filmes de ficção.

9. Argumentação de quem propõe trabalho gratuito ou semi-gratuito.

10. Jornalismo literário.