Três opiniões sobre artes

por Michel Laub

João Cabral de Melo Neto numa entrevista à Gazeta Mercantil, 1997 – “Não gosto de música, nunca gostei. Sou completamente surdo para a música: quando vou a um concerto a minha vontade é dormir.”

 Thomas Bernhard em Extinção (Companhia das Letras, 476 págs.) – “Fotografar é uma paixão abjeta que se apoderou de todos os continentes e todas as camadas sociais, uma doença de que foi acometida toda a humanidade e da qual não pode mais ser curada. O inventor da arte fotográfica é o inventor da mais desumana de todas as artes. A ele devemos a definitiva deformação da natureza e do ser humano que nela vive, reduzidos à careta perversa de um e de outro (…). A fotografia é a maior desgraça do século xx.”

Alexandre Soares Silva em seu formspring  “Não entendo teatro. Não entendo a reação das pessoas no teatro. Um ator diz algo que, se você visse pela televisão e estivesse sozinho em casa, você mal sorriria, e no teatro você dá uma gargalhada (…). Nunca vou me esquecer da gargalhada que o meu vizinho de cadeira deu em A Morte do Caixeiro Viajante, quando Marco Nanini abriu a geladeira e disse: ‘General Electric é uma merda!’”