Dois filmes subestimados com Al Pacino

por Michel Laub

Carlito’s wayOs melhores lugares-comuns das histórias de “última vez”, aqui recriados pelas falas marrentas de italianos e porto-riquenhos, por Sean Penn em sua fase karatê e pelo sr. Benny Blanco from the bronx. Única produção recente de Brian De Palma em que o show off técnico está minimamente a serviço da trama, cujo espírito é o lamento nostálgico pela brutalização do mundo (a.k.a. falta de ética da nova geração de traficantes).

O articulador –  Abduzido diretamente de Insônia, Pacino vive um homem pálido com roupas pretas que já viu de tudo e está esgotado a ponto de o espectador sentir isso em sua voz, um sussurro que ameaça sumir em meio à própria rouquidão derrotada. Um filme que, para além de suas óbvias qualidades dramáticas, reabilita a frase clássica – e também subestimada – de Raduan Nassar: “Bom mesmo é dormir”.